quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O Imbuzeiro

A frutificação do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco
RESUMO





  O imbuzeiro é uma fruteira nativa das caatingas nordestinas de grande importância para as populações rurais e animais silvestres da região. Contudo, sua frutificação ocorre no período de julho a dezembro, normalmente de seca. Neste período o imbuzeiro perde as folhas, entra em dormência vegetativa, inicia a brotação, a floração e no final de novembro já têm frutos maduros. Este trabalho teve como objetivo fazer o acompanhamento da fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco, nas safras de 1999 a 2002. Os resultados obtidos demonstram que a fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região do sertão de Pernambuco ocorre no período mais seco e na ausência de precipitações. As fases fenológicas em cada plantam apresenta diferenças significativas entre si, em cada fase do ciclo reprodutivo.
INTRODUÇÃO






A frutificação do imbuzeiro (Spondias tuberosa Arruda) ocorre na região semi-árida do Nordeste, no período de julho a dezembro, normalmente de seca. O imbuzeiro perde as folhas logo após as chuvas, para diminuir a transpiração e entra em estado de dormência vegetativa no começo da estação seca. Nesse período as modificações que ocorrem no clima, na temperatura e na umidade relativa do ar, induzem o imbuzeiro a iniciar sua brotação, floração e frutificação (MENDES,1990).


Informações sobre as épocas de brotação, floração e frutificação do imbuzeiro são encontradas em PIRES (1990). Esse autor mostra períodos diferenciados para o início da brotação, floração e frutificação do imbuzeiro nas regiões onde fizeram as observações.


O objetivo deste trabalho foi fazer o acompanhamento da fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região semi-árida de Pernambuco, nas safras de 1999 a 2002.





MATERIAL E MÉTODOS








Este trabalho foi realizado na região semi-árida de Pernambuco nas safras do imbuzeiro de 1999 a 2002, no Campo Experimental da Caatinga, Embrapa Semi-Árido, com 12 plantas de imbuzeiro escolhidas ao acaso em uma área, localizada a 9° 24" 38" de latitude Sul e 40° 29" 56" de longitude Oeste, a uma altitude de 377 m, com temperatura média anual de 26°C, umidade relativa do ar média anual de 60% e precipitação média anual de 391,5 mm. Antes do início da brotação e floração foram escolhidos ao acaso, em 392 ramos de diferentes partes da copa, para acompanhamento da fenologia de cada planta, desde a emissão do primórdio do botão floral, a abertura da flor e início da frutificação até a maturação plena dos frutos. Em cada ramo foi colocada uma etiqueta onde foi anotada a data de ocorrência de cada fase fenológica. As variáveis analisadas foram: a) período de queda de folhas; b) período de emissão do primórdio do botão floral; c) início da formação do botão floral; d) início da abertura das flores; e) início da frutificação e; f) período em que o fruto alcançou a maturação plena. Os resultados obtidos foram submetidas à análise estatística para determinação das médias, desvios-padrão e coeficiente de variação (SAS,1990).








RESULTADOS E DISCUSSÃO








A fenologia reprodutiva do imbuzeiro na safra de 1999 teve início com a queda total das folhas em algumas plantas entre os dias 06 de julho a 28 de agosto. A primeira planta a perder todas as folhas foi a de número 4 em 06 de julho de 1999. Em 2001 e 2002, as plantas apresentaram comportamentos fenológicos similares aos anos de 1999 e 2000, embora tenha ocorrido diferença significativa nas ocorrências climáticas nos anos de observação.


Na safra de 1999 o início da brotação ocorreu em 19 de agosto na planta de número 4. Essa mesma tendência ocorreu na safra de 2001 e 2002.


O período médio entre a marcação do botão floral e a abertura das flores foi de 6,41 dias, variando entre cinco e sete dias na safra de 1999 e de 6,58 dias em 2000, com uma variação de cinco a oito dias. A primeira ocorrência de abertura de flor em 1999 foi observada na planta de número 4 no dia 22 de agosto e a última no dia 10 de outubro na planta de número 1. Essa mesma tendência foi observada nas safras de 2000, 2001 e 2002. Este período de floração diferencia-se do ocorrido em outras regiões, relatadas por BARBOSA et al. (1989) e MENDES (1990).


O início da frutificação nos anos analisados ocorreu entre os meses de setembro e outubro. Vale ressaltar que em 2000, 2001 e 2002, as ocorrências pluviométricas no período de frutificação foram muito baixas com exceção em 1999 quando choveu 38,4 mm no mês de setembro. O período médio entre a abertura das flores e o início da frutificação foi de 10,25 dias em 1999, com variação de 9 a 12 dias.


Quanto à maturação dos frutos, o período médio entre o início da frutificação e a maturação plena do fruto em 1999 foi de 125,41 dias, com desvio-padrão de 8,01 e coeficiente de variação de 6,39%. Este período de maturação dos frutos diferencia-se do encontrado por SILVA et al. (1991), que foi de 90 dias. As variações no período de maturação dos frutos confirmam os resultados obtidos por PEDROSA et al. (1989), que colheram frutos maduros em 22 plantas de imbuzeiro nos Estados de Pernambuco e Paraíba, no período de fevereiro a abril.








CONCLUSÕES








A fenologia reprodutiva do imbuzeiro na região do sertão de Pernambuco ocorre no período mais seco e na ausência de precipitações.


As fases fenológicas em cada plantam apresenta diferenças significativas entre si, em cada fase do ciclo reprodutivo.


O período médio entre o início da frutificação e a maturação plena dos frutos é de 125 dias. A planta considerada a mais precoce apresentou frutos maduros aos 117 dias após o início da frutificação.








REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS








BARBOSA, D. C. A.; ALVES. J. L. A.; PRAZERES, S. M. & PAIVA, A. M. A. Dados fenológicos de 10 espécies arbóreas de uma área de caatinga (Alagoinha - PE). Acta Bot. Bras. 3: 109 -17, 1989.


BARBOSA, I. S.; MENDONÇA, R. M. N.; SILVA, H. & SILVA, A. Q. Estudo pomológico de plantas de imbu de diferentes regiões da Paraíba. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 10, Fortaleza, CE, 1989. Anais... Fortaleza, Sociedade Brasileira de Fruticultura, 1989. p. 506.


EMBRAPA. Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido (Petrolina-PE). Relatório de Pesquisa do Centro de Pesquisa Agropecuária do Trópico Semi-Árido, CPATSA, 1979-1990. Petrolina, PE, 1993. 175p.


MENDES, B. V. Imbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.): importante fruteira do semi-árido. Mossoró, ESAM, 1990. 66p. (Coleção Mossoroense, Série C - v. 554).


OLIVEIRA, J. G. B.; QUESADO, A. L. C.; NUNES, E. P. & VIANA, F. A. Observações preliminares da fenologia de plantas da caatinga na estação ecológica de Aiuaba, Ceará. Mossoró, ESAM. 1988, 538p. (Coleção Mossoroense, Série B).


PEDROSA, A. C.; GONZAGA NETO, L. LEDERMAN, I. E.; BEZERRA, J. E. F. & DANTAS, A. P. Características físico-químicas de frutos de 22 matrizes de imbuzeiros (Spondias tuberosa Arr. Cam.) provenientes de Pernambuco e da Paraíba. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 10, Fortaleza, CE, 1989. Anais... Fortaleza, Sociedade Brasileira de Fruticultura, 1989. 506 p.


PIRES, M. G. M. Estudo taxonômico e área de ocorrência de Spondias tuberosa Arr. Cam. (imbuzeiro) no Estado de Pernambuco - Brasil. Recife, UFRPE, 1990. 290 p. (Tese de mestrado).


SAS INSTITUTE. SAS Guide to macro processing: version 6. 2. ed. Cary, NC, SAS Institute Inc., 1990. p. 319.


SILVA, A. Q.; SILVA, H. & OLIVEIRA, B. E. M. Acúmulo de NPK durante crescimento e maturação de frutos de imbuzeiro (Spondias tuberosa Arr. Cam.). Rev. Bras. Frutic., 13: 259-63, 1991.


A seca e a floração do imbuzeiro na caatinga


 Imbuzeiro com flores e frutos
 Aspectos das inflorescências do imbuzeiro
 Flores e frutos do imbuzeiro
Frutos do imbuzeiro

As fotos

Nestas fotografias podemos observar plantas de imbuzeiro com flores e frutos. As fotografias foram obtidas na caatinga do município de Petrolina, PE, em outubro de 2012.

Os fatos

Embora a seca tenha afetado todas as plantas da caatinga este ano, visto que houve pouca chuva, o imbuzeiro ainda não alterou sua fenologia e está com bastante flores e frutos. Por outro lado, essa seca pode trazer reduções significativas na safra, pois, as pancadas de chuvas de setembro e outubro contribuem significativamente para a floração e a fecundação dos frutos do imbuzeiro e ainda não ocorreu nenhuma chuva nestes meses na caatinga. Existe uma crença popular que as chuvas de setembro e outubro são as chuvas da flor do imbuzeiro. Em anos de chuvas regulares, o imbuzeiro perde as folhas logo depois do inverno, e assim evita a transpiração e perda de água. Esse processo ocorre num período, médio de 43 dias, que corresponde ao início do verão, ficando as plantas em estado de dormência vegetativa, contudo seus os xilopódios estão cheios de reservas nutritivas o que garante a sobrevivência da planta e sua floração e frutificação. Na primeira quinzena de agosto a setembro, quando ocorrem as primeiras chuvas de verão, modificam-se a temperatura e a umidade relativa do ar, acelerando o metabolismo da planta com o aparecimento das primeiras flores e folhas. Este ano não houve não precipitação na região a mais de 280 dias e a fenologia do imbuzeiro continua aparentemente normal. Todavia, só após a safra de 2012-2013 é que poderemos avaliar mais precisamente os impactos dessa seca na fenologia reprodutiva do imbuzeiro.

Vacinação contra aftosa no Nordeste pode ser prorrogada devido à seca


Estados e municípios da Região Nordeste afetados pela seca deste ano poderão decidir se prorrogam ou suspendem a vacinação contra a febre aftosa – a depender das condições do gado. A segunda etapa de intervenção em bovinos e búfalos começa no dia 1º de novembro, com expectativa de imunizar 150 milhões de animais em todo o país. Com a medida anunciada nesta terça (30/10) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), esse número pode ser reduzido em até 16 milhões de cabeças - gado estimado nos nove estados da região.

De acordo com o coordenador de Febre Aftosa do Mapa, Plínio Lopes, os departamentos veterinários dessas cidades terão que iniciar a vacinação normalmente e, ao longo do processo, se considerarem necessário, podem prorrogar a aplicação das vacinas por 30 dias ou ainda suspender o procedimento. No caso de suspensão, os municípios terão que apresentar uma nova análise da situação até o dia 15 de janeiro para que o ministério reavalie as condições locais.
 
fonte do blog de genilza pereira
Nenhum comentário:

Financiamentos de maquinário e infraestrutura têm alta de 17,9%

Entre julho e setembro deste ano, os empréstimos para aquisição de máquinas agrícolas, equipamentos de irrigação e estruturas de armazenagem alcançaram R$ 1,8 bilhão por meio do Programa de Sustentação do Investimento (PSI-BK), uma alta de 17,9% em relação ao mesmo período de 2011. Os dados são do Departamento de Economia Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
A expectativa do Governo Federal é que haja aumento ainda mais expressivo a partir de 1º de novembro, quando a taxa de juros dessa linha de crédito relativa ao agronegócio reduzirá de 5,5% para 2,5% até 31 de dezembro de 2012.
A alta nos financiamentos de PSI-BK acompanha os números gerais do Plano Agrícola e Pecuário 2012/13, que tiveram elevação de 14,7% entre julho e setembro deste ano em relação aos mesmos meses de 2011. Ao todo, as contratações do crédito pela agricultura empresarial foram de R$ 26,5 bilhões no período, que representam 23% do montante de R$ 115,2 bilhões programados para o ano-safra 2012/2013.
São determinantes para a ampliação das contratações de recursos do crédito rural medidas como a ampliação de recursos disponíveis do Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR) e a redução dos juros. A avaliação das contratações do crédito agropecuário atualizada mensalmente é realizada pelo Grupo de Acompanhamento do Crédito Rural, coordenado pela Secretaria de Política Agrícola do Mapa.

NOTA A POPULAÇÃO DO RN.


                            A FETARN - Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio Grande do Norte em reunião da sua Direção vem a público, manifestar a sua contrariedade em face do tratamento dispensado pelos Governo Federal, em razão das ações que não correspondem as necessidades para o enfrentamento da atual fase da estiagem e do Governo Estadual do RN, em praticamente nada realizar para atenuar os efeitos da seca.
Estamos enfrentando no RN uma das piores estiagens dos últimos anos, com uma perspectiva de atingir prejuízos para o Estado na ordem de R$ 5 bilhões.  A agricultura familiar é a principal afetada com a inexistência de safra, mortalidade dos rebanhos, colapso do abastecimento d’água, inexistência de renda, etc.
Para agravar ainda mais a situação, às políticas públicas de apoio a manutenção das famílias, não chegam aos seus objetivos:
- Do universo de 76 mil unidades produtivas familiares no Estado, o PRONAF Estiagem para agricultura familiar atendeu apenas 1.957 famílias, o que demonstra não ter crédito emergencial. Os recursos disponibilizados pelo Governo Federal para a compra de insumos, alimentação dos rebanhos e recuperação de poços artesianos, são insuficientes para atender as famílias que estão sendo castigadas com os efeitos da seca. A recuperação e instalação de 160 poços programados pela SEMARH até o momento não se concretizou.
- Apesar de a operação carro pipa ser um instrumento paliativo para enfretamento da falta d´água para consumo humano, encontra-se atendendo precariamente apenas 87 municípios. Os rebanhos continuam morrendo com a falta d´água e de alimentação.  O milho de venda direta aos agricultores familiares na CONAB, não tem chegado aos criadores em regime de economia familiar. Segundo a Companhia de Abastecimento, das 63 mil toneladas necessárias para os últimos 6 meses, chegaram efetivamente ao Estado apenas 24 mil;
- Os Programas Garantia Safra e Bolsa Estiagem são insuficientes para amenizar a situação das famílias atingidas pela estiagem, pois a quantia é insignificante de R$ 136,00 e R$ 80,00 mensais, respectivamente, durante cinco meses, não atendendo as necessidades básicas dos trabalhadores e trabalhadoras rurais.
 Assim manifestamos o descaso e a forma pela qual os Governos Federal e Estadual vêm se comportando no tratamento aos agricultores e agricultoras familiares. As ações ínfimas governamentais tem criado um ambiente para aprofundamento das consequências dos efeitos da estiagem no RN.
                         Lutaremos por um tratamento digno para os trabalhadores e trabalhadoras rurais do nosso Estado.
Natal, 30 de outubro de 2012.
A Direção.
Fórum no Ceará debate políticas para assentados da Reforma Agrária
31/10/2012 03:03
O Território da Cidadania Sertões de Canindé, no Ceará, abrange uma área de 9.099,20 km² onde vivem 3.261 famílias agricultoras em Assentamentos da Reforma Agrária. Nesta quarta-feira (31), durante todo o dia, representantes de nove assentamentos locais, secretarias municipais, movimentos sociais e sindicatos vão debater políticas públicas voltadas para essas pessoas, durante o Fórum dos Assentados da Reforma Agrária e Agricultores Familiares, realizado no município de Madalena, uma das seis cidades que fazem parte do território.
O delegado federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no Ceará, Francisco de Oliveira, vai participar do evento, onde levará as medidas anunciadas no Plano Safra da Agricultura Familiar 2012/2013 para dialogar com as demandas dos agricultores e assentados da região. “Trata-se de uma região muito seca, portanto, questões relacionadas à estiagem têm maior relevância, principalmente com políticas de crédito, segurança da produção e geração de renda”, explica o delegado.
Segundo Francisco, ações do governo federal e do MDA como o Garantia-Safra, a liberação do Pronaf Estiagem para o resto do ano e o programa Bolsa Estiagem estarão em pauta para acelerar a comercialização via mercados institucionais e a qualidade de vida do agricultor familiar.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

PARA PENSAR:
“A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem”
Oscar Niemeyer

PARA REFLETIR:
“O sucesso resulta de cem pequenas coisas feitas de forma um pouco melhor. O insucesso, de cem pequenas coisas feitas de forma um pouco pior”
Henry Kissinger

Movimento Sindical perde um grande líder sindical

JOSE JUAREZ
PRESIDENTE DO STTR DE LAJES/RN
Neste dia 29 de outubro, o movimento sindical de trabalhadores e trabalhadoras rurais perdeu um grande líder sindical, foi o nosso companheiro o Sr. JOSE JUAREZ DA SILVA – PRESIDENTE DO STTR DE LAJES/RN. Juarez era um grande líder dentro de lajes e da região central, foi um defensor das causas dos trabalhadores e trabalhadoras rurais, mais por motivo de doença, sua luta teve que terminar antes do que se imaginava, mais mesmo ele em outro mundo, ele vai dar força para que nós lutemos por esta categoria, que sempre ele lutou.
O Sepultamento será dia 30, as 16:00 horas, acontece na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição a Missa de Corpo Presente e em seguida o Sepultamento no Cemitério Municipal de Lajes/RN.

NOTA DO BLOG:
NÓS QUE FIZEMOS O STTR DE ANGICOS, ESTAMOS MUITO TRISTES COM ESTE ACONTECIMENTO, MAIS NÓS VAMOS ESTAR SEMPRE JUNTOS COM OS NOSSOS COMPANHEIROS(AS) DE LAJES, PARA DEFENDER O QUE O NOSSO COMPANHEIRO ETERNO JUAREZ SEMPRE DEFENDEU QUE É A NOSSA AGRICULTURA FAMILIAR.

Concurso Público do IBAMA

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) do dia 26/10/12, o edital do concurso público para provimento de 108 vagas para o cargo de analista ambiental, de nível superior, da carreira de especialista em meio ambiente, do quadro de pessoal efetivo do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Trata-se do 4º concurso público do Ibama para este cargo, sendo que os anteriores ocorreram nos anos de 2002, 2005 e 2008.

Para participar da seleção, os candidatos devem ter diploma de conclusão de graduação de ensino superior, em qualquer área (inclusive cursos de tecnologia), devidamente registrado, expedida por Instituição de Ensino e reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), e registro no órgão de classe específico, quando for o caso.

A remuneração inicial prevista é de R$ 5.441,24, já incluídos a gratificação de desempenho de atividade de especialista ambiental e o auxílio alimentação.

As inscrições podem ser feitas no site do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe) da Universidade de Brasília (UnB), no período de 5 de novembro a 26 de novembro de 2012 - clique aqui para acessar o edital. A taxa é de R$ 75,00.

As provas, objetivas e discursiva, tem aplicação prevista para o dia 20 de janeiro de 2013. A estimativa é que a publicação do resultado final do concurso se dê até o dia 05 de abril de 2013.

Seleção

O Concurso Público será realizado em uma única etapa. No momento da inscrição, o candidato deverá optar pela Unidade da Federação da vaga, por um dos três temas e pela cidade para realização de provas (Brasília ou Rio de Janeiro), dentre as opções disponibilizadas. Outra novidade é a inclusão de duas questões práticas, valorizando a prova discursiva.

FONTE

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

POLO CENTRAL DA FETARN REIVINDICA GOVERNO DO RN

Nesta sexta, dia 26 de outubro, o Polo Central da FETARN, realizou uma reunião, no STTR de Lajes/RN. Estiveram presentes varias lideranças sindicais da região central, e também a presença dos representantes da FETARN: JOSE EDSON DE OLIVEIRA - SECRETARIO GERAL; FRANCISCO DE ASSIS - SECRETARIO DE MEIO AMBIENTE; E CICERO FIGUEREDO - ASSESSOR DOS TERRITÓRIOS.
A reunião foi muito debatida, vários companheiros fizeram uso da palavra e cobraram do governo do estado melhoria para a agricultura familiar, pois com esta estiagem, esta devastando com tudo, e o governo não esta empenhado em combater este problema.
PRESENTES NA REUNIÃO
 COORDENADOR DO POLO CENTRAL - ALMIR MEDEIROS
SECRETARIO DE MEIO AMBIENTE DA FETARN - FRANCISCO DE ASSIS, 
ARTICULAM PARA COBRAR MAIS DURO COM O GOVERNO DO ESTADO
 JOSE EDSON - SECRETARIO GERAL DA FETARN
PRESENTES NA REUNIÃO

domingo, 28 de outubro de 2012

A floração do mandacaru no Sertão


 Mandacaru com flores
 
 Destalhes das flores do mandacaru
 O fruto do mandacaru 
 Bentivi no fruto do mandacaru


As fotos

Nestas fotografias, podemos observar a floração e frutificação do mandacaru.
Os fatos

O mandacaru (Cereus jamacaru P. DC.) é uma das cactáceas da caatinga de grande importância para o bioma. Uma das principais características dessa planta é que os habitantes da região Nordeste associam à floração do mandacaru a chegada das chuvas. Luiz Gonzaga consagrou o mandacaru com o xote das meninas em 1953, onde ele cantava que “mandacaru quando fulora na seca é o sinal que a chuva chega no Sertão...”. As flores do mandacaru apresentam coloração branca e abrem na madrugada quando são polinizadas, principalmente pelos morcegos. Durante o dia a flor começa a murchar e ainda serve de fonte de alimento para muitas abelhas nativas. O fruto do mandacaru é de cor avermelhada é muito apreciado pelos pássaros que consomem a polpa com as sementes e realizam sua dispersão em toda caatinga. Em anos de seca severa como a que está afetando o Sertão do Nordeste neste ano, o mandacaru tem sido severamente cortado pelos agricultores para alimentação dos animais. Com o corte não há floração e frutificação, afetando a dispersão dessa espécie. A floração que hora ocorre é uma grande esperança para os sertanejos, visto que já estamos a mais de 284 dias sem uma chuva.

fonte do blog fatos e fotos da caatinga
Nenhum comentário:

Leucena- Uma Ótima Opção Para o Semiárido





 O QUE DIZ A EMBRAPA:
O sistema CBL (Caatinga + Buffel + Leucena), concebido pela EMBRAPA CPATSA, se constitui uma alternativa concreta para se incrementar a produtividade da pecuária na região semi-árida e consiste na produção de bovinos azebuados/caprinos, utilizando a vegetação da caatinga (C), no período de 2 a 4 meses de maior oferta quantitativa e qualitativa de forragem, associada a uma área de capim-Buffel (B), com piquetes contíguos de uma leguminosa arbustiva (L). A leucena, tem sido a leguminosa recomendada, embora outras espécies possam ser também utilizadas. O Projeto CBL vem sendo desenvolvido pela EBDA. Os produtores assistidos serão beneficiados não só pela estabilização da produção pecuária, bem como pelo incremento da produtividade, através da adoção de novas tecnologias adequadas à região semi-árida.

Mapa divulga ações do SIFISA na 50ª Festa do Boi 2012

Os Fiscais Federais Agropecuários em sistema de rodízio, estiveram presentes no período do evento executando o controle sanitário
As ações do Serviço de Saúde, Inspeção e Fiscalização Animal (SIFISA) da Superintendência Federal da Agricultura do Rio Grande do Norte (SFA/RN) foram divulgadas ao público presente na 50ª edição da Exposição Estadual de Animais e Máquinas do Rio Grande do Norte, Festa do Boi, em um stand montado no local da antiga Fenorte, no Parque de Exposições Agropecuárias Aristófanes Fernandes, na cidade de Parnamirim, no período de 11 a 21 de outubro deste ano.
O espaço, apresentado e aprovado pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), teve seu local doado pelo presidente da ANORC e ex-superintendente da SFA/RN, José Teixeira de Souza Júnior, e na sua instalação contou com o apoio da Coordenação Geral de Promoção de Eventos Nacionais do Gabinete do Ministro (CGPEN/GM).
O local foi utilizado pelo superintendente federal de Agricultura, Orlando Cláudio Procópio, para seus despachos oficiais e recepção à visitantes e pecuaristas que compareceram à Festa do Boi. Os Fiscais Federais Agropecuários do SIFISA, em sistema de rodízio, estiveram presentes no período do evento, tanto executando o serviço de fiscalização das atividades do IDIARN no controle sanitário de entrada e saída de animais e nas ocorrências durante o evento no parque, em atendimento a legislação vigente. A equipe da SFA/RN, integrada também por secretárias e servidores técnico-administrativo, esclareceu e divulgou os programas sanitários, com ênfase à febre aftosa.
Tendo como focos centrais o Projeto de Regionalização e as ações voltadas para a sanidade dos rebanhos, as peças de divulgação constaram de folhetos, folders, revistas infantís, vídeos institucionais e mostras de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) utilizados no monitoramento e coleta de amostras em aves de subsistência, nos sítios localizados na praia de Galinhos/Galos e na praia de Barra de Cunhaú, no município de Canguaretama. (Fonte: SFA-RN).

Seminário discute nutrição de caprinos e ovinos no NE

Pesquisas sobre espécies da caatinga adequadas para compor dietas para caprinos e ovinos, métodos para estimar as exigências nutricionais desses animais, experiências sobre sistemas de informação e suas contribuições para produção animal. Estes são temas em debate no Seminário Internacional "Bases teóricas e práticas da experimentação com pequenos ruminantes em pastejo no Nordeste brasileiro", promovido pela Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral-CE), entre os dias 25 e 26 de outubro, em Fortaleza (CE).
O evento - que contou com a presença de pesquisadores da Embrapa, de universidades brasileiras e da Texas A&M University (EUA) – teve início na quinta-feira (25), com apresentação dos pesquisadores Ana Clara Cavalcante (Embrapa Caprinos e Ovinos) e Elnatan Souza (Universidade Estadual Vale do Acaraú), que abordaram a importância de se intensificar os estudos sobre a flora da caatinga para identificar espécies vegetais potencialmente úteis para alimentação dos animais. “Muitas ainda permanecem desconhecidas”, afirmou Elnatan.
Na opinião dele, é um desafio para as instituições de pesquisa formar um banco de dados sobre as forrageiras no Nordeste para subsidiar ações de enriquecimento das pastagens. Ana Clara complementou: “além de conhecer as espécies, é necessário identificar quais são as de preferências dos animais, para um uso estratégico e para trabalhar com o melhoramento genético de plantas nativas”.
A possibilidade de elaborar modelos para prever consumo e estimar as exigências nutricionais de caprinos e ovinos no Nordeste brasileiro foi mostrada nas palestras dos pesquisadores Marco Bomfim (Embrapa Caprinos e Ovinos) e Luís Tedeschi (Texas A&M). Marco destacou que a maioria dos sistemas nutricionais usados na atualidade monta bases de dados a partir de experimentos com animais confinados e predizem apenas um consumo potencial. “Porém, numa situação de animais em pastejo na caatinga, fatores como calor e verminose afetam o consumo”, ponderou ele.
Tedeschi reforçou a necessidade de construção de um modelo de estimativa de exigência nutricional específico para a caatinga, que leve em conta fatores específicos do bioma, como os efeitos das atividades físicas dos animais, nas condições da região. (Fonte: Embrapa)
Agricultores das regiões Norte e Nordeste poderão renegociar dívidas

Para trazer de volta à adimplência e ao crédito agricultores prejudicados com as intempéries climáticas, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou, nesta quinta-feira (25), a criação de uma linha de crédito especial para renegociação de dívidas dos produtores das regiões Norte e Nordeste com dificuldade para pagar seus financiamentos de investimento e de custeio.
A Resolução nº 4.147 institui a nova linha de crédito rural. Com a medida, serão beneficiados agricultores que não haviam participado de renegociações e, principalmente, os que sofreram com a forte estiagem no início do ano, no Nordeste, e com as enchentes no Norte.
"Uma medida como esta, que permite aos agricultores familiares afetados pela seca repactuarem suas dívidas, dá a eles maior tranquilidade para que estejam adimplentes e continuem utilizando o crédito para sua inclusão socioprodutiva e consequente geração de renda", afirma o secretário da Agricultura Familiar, Valter Bianchini. "O acesso ao crédito é um elemento dentro do conjunto de medidas dotadas pelo governo federal para a região", completa.
Podem acessar a linha produtores rurais com operação contratadas até 30 de dezembro de 2006, no valor original de até R$ 100 mil, inadimplentes em 30 de junho de 2012.
As taxas de juros para os agricultores familiares enquadrados no Pronaf serão de 2% ao ano para quem contratar operações com valor acima de R$ 10 mil e de 1% ao ano para aqueles que contratarem até R$ 10 mil. O prazo de pagamento das operações será até dez anos, com o vencimento da primeira parcela para até um ano após a data da contratação da operação.
"Essa ação vem viabilizar a negociação de outros agricultores que não foram contemplados com outras medidas que já existem para renegociação. Temos hoje no estado da Bahia cerca de 220 mil operações inadimplentes. Estimamos que a medida beneficie 90 mil agricultores que voltarão a estar habilitados a tomar o crédito e recuperar sua produção, principalmente o rebanho – que teve um quadro de perda perto dos 50% em decorrência da seca", diz o superintendente da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária do estado da Bahia (Seagri), Wilson Dias.
Acesso à linha de crédito Para aderir a essa linha o agricultor tem que fazer um pagamento mínimo obrigatório na data da formalização da operação, que será de 2% quando o valor contratado for até R$ 35 mil e de 5% se for acima de R$ 35 mil.
O prazo para adesão ou formalização é até 31 de dezembro de 2013.

Conab realiza novo leilão de milho para a região Nordeste

http://www.marceloabdon.com.br/
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realiza, na terça, dia 6, mais um leilão para atender a falta de milho no Nordeste. A medida visa suprir a demanda dos criadores de animais da região.

Após a realização de leilões para contratação de frete e transporte do produto para os estados atingidos pela seca nos últimos meses, a Companhia faz uma nova operação. Desta vez é a troca, ou seja, a venda de milho em grãos in natura, depositados em armazéns de Mato Grosso, e compra simultânea de 17 mil toneladas do grão ensacado. A medida é para atender o Estado do Ceará e a entrega será feita aos armazéns indicados pela Conab.
Nesta operação, os fornecedores que vencerem o leilão terão 30 dias para escoarem o produto do local de origem à região destinada. A vantagem é que os grãos ensacados vão acelerar o envio do produto para o Nordeste. A operação será destinada, inicialmente, ao Ceará, por meio da modalidade Vendas em Balcão. Novas operações de trocas estão previstas para ocorrer também em outros estados da região.

sábado, 27 de outubro de 2012

Produção de leite no Sertão passa por pior momento do Programa Leite da Paraíba



“Nós estamos agora no pior momento que esse programa já enfrentou em toda a sua história, esse programa tem uma grande vantagem porque ele gera benefícios ao beneficiário que é o que recebe o leite, e gera benefício para o produtor que é quem produz, gera benefício na indústria que é quem industrializa e gera emprego e renda, mas diante do acontecido em que houve uma grande crise com um grande problema com poucas pessoas envolvidas, mas que afetou o programa como um todo, então o programa hoje está em seu pior momento, está praticamente á zero”, explica Eduardo Dantas, produtor rural no Sertão e representante do Laticínio da Serra que tem sede na cidade de Patos.
Dantas é da opinião de que a produção de leite está em decadência no Estado da Paraíba e que os produtores responsabilizam a política desenvolvida pelos governos ou mesmo falta de uma política eficaz como sendo a responsável pelo esfacelamento das bacias leiteiras em todo o estado. “Esse programa tem uma grande importância como regulador de mercado e hoje nós estamos vivendo uma seca onde o produtor está desassistido e se esse programa morrer agora, nos primeiros meses do próximo ano quando chover e que tiver uma grande produção vai acontecer a baixa de preços. O produtor está sofrendo agora na seca e vai sofrer no inverno na época das chuvas porque é momento em que ele iria conseguir recuperar o que ele está perdendo agora na seca, o preço vai baixar porque em anos anteriores o governo comprava 120 mil litros de leite por dia e isso funcionava como regulador de mercado, então o preço não cairia”, explica aquele representante das bacias leiteiras de todo o Sertão paraibano ao dialogar com os ouvintes do Programa Domingo Rural e Programa Universo Rural.
Eduardo Dantas participou de recente encontro dos laticinistas(Clique e leia), em Campina Grande, e falou sobre a proposta do Governo do Estado em ofertar a torta de algodão e soja para a suplementação alimentar do rebanho e garante que o produto terá que chegar no mais curto espaço de tempo já que o verão vem atingindo a região durante todo esse ano de 2012. “Isso é um incentivo bastante interessante para atrair o produtor, porque o produtor não está mais no programa, ele saiu porque ficou sem receber, ele ficou desassistido e então saiu do Programa e o importante é que ele voltasse para o programa sobreviver e o atrativo da ração aí à 50% tem que ser uma logística muito bem feita”, explica aquela liderança dizendo que a prática do governo terá que ser emergencial para que os demais produtores não abandonem o programa já degradado. “Essa questão da ração tem que ser pra ontem, não pode mais esperar porque a gente já está em outubro, então passado outubro, novembro e dezembro chegaremos em janeiro e se demorar, morrerá bois e constrange”.
Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

Agricultores familiares potiguares participam de oficina sobre mandiocultura na Festa do Boi



Durante a 50ª Festa do Boi, os agricultores familiares que visitaram os projetos da Emater-RN, na Fazendinha Agroecológica, aprenderam mais sobre a cadeia produtiva da mandioca a partir do trabalho organizado pelo técnico do escritório de Bom Jesus, Juarez Damasceno, responsável pelos ensinamentos às caravanas de produtores do interior.
Segundo a assessoria daquele órgão de extensão, os agricultores e agricultoras aprenderam como aproveitar a mandioca para ração animal, insumo importante, porém escasso principalmente nesse período de estiagem é que é tida pelo extensionista com uma alternativa de baixo custo e com alto valor nutritivo para os animais. “Da mandioca pode ser feito o feno da maniva (caule da planta), das folhas e da raiz. Já a manipueira, líquido extraído da mandioca quando é prensada, antes considerado altamente poluidor do meio ambiente, hoje é usada tanto como defensivo natural para o combate de pragas das plantas, como também para alimentação do rebanho, desde que passe pelos procedimentos corretos para ser aproveitado com esse fim”, explica aquela assessoria ao dialogar com Stúdio Rural.
Aquela assessoria explicou ainda que na Fazendinha Agroecológica também foi instalada a réplica de uma casa de farinha e uma tapiocaria com um torrador onde é despejada a massa da mandioca e transformada em farinha, sob a responsabilidade de produtores das comunidades de Ponta de Várzea e do Cobé, ambas do município de Vera Cruz oportunidade fazendo com que os visitantes tivessem a oportunidade de degustar e comprar beijus feitos na hora no período da tarde e da noite durante o evento.
Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Mato Grande: Assentamentos Modelos I e II tem peixe, falta comprador

http://www.blogdeassis.com.br/
Criação de peixe nos assentamentos Modelo I e II
  
Assentado explica que tem peixe, falta comprador
 
 Renda(presidente do Sindicato) preocupado com a falta de comprador para o peixe
A criação de peixe em cativeiro nos assentamentos Modelos I e II vem dando certo, pelo menos no que se refere a produção, o problema, segundo constatou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de João Câmara, Francisco Matias(Renda) é a falta de mercado, ou seja comprador.
Renda e demais integrantes da diretoria do Sindicato esteve nos dois assentamentos e comprovou o trabalho desenvolvido pelos assentados com relação ao projeto de criação de peixe, e lá percebeu a preocupação dos produtores em comercializar o produto.

Tem Milho da CONAB em João Câmara

Enquanto não chega Milho em Lajes e em Açú, os pequenos produtores da região central estão adquirindo o milho na CONAB de João Câmara. A Prefeitura de Lajes está disponibilizando uma caçamba de sua frota para trazer o milho. O produtor paga o boleto no B. do Brasil e a Secretaria de Agricultura  de Lajes se encarrega da condução do precioso cereal. Medida justa e oportuna. Parabens a Dra Jane Secretaria de Agricultura e toda sua equipe pela iniciativa.

Viagra do Sertão

O Ambientalista e produtor rural, Chico Elpidio, residente no Distrito Palma,em Caicó tem disseminado suas ideias de preservação da caatinga por onde passa. Ultimamente, ele tem participado de vários eventos ambientais como palestrante e em determinado ponto de sua apresentação, olhares se tornam mais atentos quando ele começa a discutir sobre o “Viagra do Sertão”. Segundo Chico Elpidio, o “Viagra do sertão” é um tipo de amendoim que nasce geralmente nas margens dos rios e riachos, mais popularmente conhecido como “amendoim cara-cará”.
Depois de alguns anos observando o comportamento de seriemas, roedores e caracarás, ele percebeu que logo após se alimentar dessas sementes, os animais entravam no período de reprodução sexual. Além disso, é visível a fertilidade do solo onde se encontra esta planta, em que seus galhos rastejantes podem chegar até um metro. Agora, pesquisadores de todas as partes do país estão entrando em contato com o ambientalista para se aprofundar mais no assunto e colher algumas amostras para pesquisas, as quais já foram enviadas para o departamento de farmacologia da UFRN, botânica da UFPE e um instituto de pesquisa de Santa Catarina.

Seca deixa mais da metade dos municípios paraibanos em situação de emergência

http://www.robsonpiresxerife.com/blog/ 
Mais da metade dos municípios da Paraíba sofrem com a seca prolongada e está em situação de emergência decretada pelo governo do estado. De acordo com a Defesa Civil, a estiagem atinge 195 dos 223 municípios do estado. Nas regiões do Cariri, Curimataú, Sertão e Alto Sertão são as mais afetadas pela estiagem. De fevereiro a maio, época da chuva, houve uma redução acentuada no índice pluviométrico.

Cinco reservatórios de água do estado já estão em estado crítico, com menos de 5% do volume total, e 22 estão em observação. A Agência Executiva da Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa) informou que os açudes em situação crítica são Bastiana e São Francisco 2, no município de Teixeira; Ouro Velho, no município de Ouro Velho; Serrote, em Monteiro; e São José 4, em São José do Sabugi. O estado tem no total 121 reservatórios.
Além da população, os animais também foram afetados pela estiagem. De acordo com a Federação de Agricultura e Pecuária da Paraíba, a falta de água agravou a situação do gado, que já sofria com a falta de alimento por causa de uma praga nas plantações de palma. A falta de água e alimento está causando perdas no rebanho bovino.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Parabens Angicos-176 Anos

Parabens Angicos. 176 anos de glória. O povo Angicano se orgulha da cidade que possui.
São os sinseros votos de felicitações do Blogueiro que também ama esta cidade.

Processo Seletivo na EMATER

EMATER - Processo seletivo simplificado é aberto para profissionais de nível médio e superior
Serão oferecidas 134 vagas para níveis médio e superior. Inscrições vão até o dia 30 de outubro

A Emater-RN abre nesta terça-feira, 2 de outubro, inscrições para a seleção de bolsistas para atuarem na instituição. O processo seletivo simplificado é aberto para profissionais de nível médio e superior. Ao todo serão 134 vagas, sendo sete destinadas para portadores de necessidades especiais. A seleção é uma parceria entre a Emater-RN e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern).
O Edital nº 008/Fapern/Emater 2012 de Bolsas de Extensão Vinculadas ao Projeto de Difusão de Tecnologia em Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para o Fortalecimento da Agricultura Familiar no Estado do Rio Grande do Norte  foi publicado esta manhã no Diário Oficial do Estado. Os candidatos serão avaliados através do currículo e entrevista.
Os profissionais serão selecionados em diversas áreas de formação para atuarem com pesquisa em Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), como por exemplo técnico agrícola, técnico em informática, bacharel em Direito, arquiteto, jornalista, engenheiro agrônomo, nuticionista, terapeuta ocupacional, turismólogo, veterinário, zootecnista, entre outras. O contrato é temporário e terá dois anos de vigência. Os selecionados serão submetidos a carga horária de 30 horas semanais com exclusividade. Os salários variam de R$ 750,00 a R$ 1.500,00.
Os selecionados poderão atuar no interior do estado, nos escritórios locais da Emater-RN, ou no Escritório Central da instituição, no Centro Administrativo do Estado, na capital.
As inscrições  serão feitas pela internet, através do site servicos.emater.rn.gov.br/processoseletivo, até o dia 30 de outubro de 2012. O resultado final será divulgado no dia 01/12/2012 e os aprovados serão admitidos a partir do dia 3 de dezembro próximo.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Leilão para remover milho tem todos os lotes contratados

Preço do frete reajustado pela Conab vem despertando o interesse das transportadoras
O pregão para a remoção de mais de 89 mil toneladas de milho em grãos, promovido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) na última sexta-feira, 19 de outubro, teve todos os lotes oferecidos contratados. A operação também registrou um deságio de 22,2% registrado entre o valor de abertura (R$ 40 milhões) e o de fechamento (R$ 31,1 milhões).
“Nos últimos leilões de frete o preço foi reajustado e despertou interesse das transportadoras. No final, tivemos até deságio. Todos os trechos oferecidos foram contratados e o fluxo está se normalizando”, analisa o superintendente de Armazenagem e Movimentação de Estoques da Conab, Rafael Bueno.
De acordo com dados da Conab, o fluxo no transporte de milho dos estoques da instituição para as regiões afetadas pela seca (Nordeste, Sul e Norte) apresentou um aumento de cerca de 88% nas últimas semanas em relação a setembro. No mês passado, com os problemas enfrentados em relação ao frete, a Conab conseguia enviar uma média de sete mil toneladas por semana. Com o início dos embarques do leilão realizado em 14 de setembro (Aviso 331), este volume passou para 10,9 mil toneladas na primeira semana de outubro, e depois para 13,2 mil toneladas na segunda semana.
O produto faz parte dos estoques da Conab localizados em Mato Grosso e Goiás. A quantidade atualmente contratada é de 617 mil toneladas, todas destinadas para as operações de Venda Balcão, programa da Conab que comercializa milho em grãos a preço subsidiado para pequenos criadores rurais e agroindústrias de pequeno porte. Deste total, 286 mil toneladas já foram embarcadas para as regiões indicadas.
Nota do Blog:
Até que em fim, uma boa notícia. Vamos aguardar a chegada do precioso cereal. Amém.

Governo do Estado apresenta balanço das ações de combate aos efeitos da seca

- Publicado por Robson Pires, na categoria Notas às 13:05
A governadora Rosalba Ciarlini e representantes do Comitê Estadual de Combate aos Efeitos da Seca concederam na manhã desta segunda-feira (22), uma entrevista à imprensa para apresentar as ações em execução e as futuras iniciativas para atender as 142 cidades do Rio Grande do Norte que estão em estado de emergência em decorrência da estiagem.
Na ocasião, a governadora falou como a seca vem prejudicando a economia do Rio Grande do Norte. “No início do ano tínhamos a previsão que iríamos ter um ano normal, porém, em março, fomos pegos de surpresa pela estiagem. Já em abril, estivemos reunidos com a presidenta Dilma para fazermos o possível para resolver esse problema. A seca já atingiu no Estado 83% do rebanho bovino e 92% do rebanho caprino e ovino. O prejuízo já chega a R$ 5 bilhões”, explicou Rosalba Ciarlini.
Durante a coletiva, os representantes do comitê apresentaram as ações emergenciais que já foram realizadas para superar a estiagem. Entre elas: o Seguro Garantia Safra, que em parceria com o Governo Federal está atendendo atualmente 113 municípios do RN, com um total de 37.138 famílias, no qual o valor pago a cada família é de R$ 680 dividido em cinco vezes de R$ 136; a Bolsa Estiagem, que desde julho conta com 43.030 famílias beneficiadas, que estão recebendo o valor R$ 400 divididos em cinco vezes de R$ 80; a distribuição de 7.878 toneladas de forragem para rebanho; o programa de venda de milho em Balcão, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), onde serão repassados, até dezembro, 64 mil toneladas de milho para o Rio Grande do Norte; e a Operação Carro-Pipa, que está atendendo 89 municípios, num total de 193.902 pessoas.
Nas ações futuras se encontram o PAC SECA, que já tem R$ 120 milhões autorizados pelo Governo Federal para ser utilizado na Adutora Umari-Campo Grande e na Adutora Pendências-Macau-Guamaré; o Programa Água Doce, com a instalação de 64 dessalinizadores; o Programa Água Para Todos, com a implantação de 96 barreiros e 192 sistemas simplificados de abastecimento de água; e a ampliação do Garantia Safra, para a safra 2012-2013, com o objetivo de beneficiar 52 mil agricultores.
Nota do Blog:
De todas essas ações que o governo do estado está apresentando, de minha parte, gostaria muito que chegasse aqui pra nos, pelo menos a metade. Já era o suficiente para eu bater palmas para o governo. Tenha dó Dra. Rosalba.

domingo, 21 de outubro de 2012

PRESIDENTE DO SINDICATO RURAL DE ANGICOS E RECEBIDO COM FESTA DURANTE SOLENIDADE DE POSSE.

MESA COMPOSTA POR DIRETORIA DO STTR E 
AUTORIDADES QUE VEIO PRESTIGIAR A POSSE DA NOVA DIRETORIA


E DEMAIS AUTORIDADES

SECRETARIO - ALMIR MEDEIROS

PUBLICO PRESENTE NA POSSE





Neste Sabado os trabalhadores e trabalhadoras rurais do município de Angicos receberam em festa o Presidente e a diretoria do Sindicato dos trabalhadores rurais, Ivanaldo Rogerio Naldinho durante solenidade de posse a onde o mesmo foi eleito para o terceiro mandato da gestão 2013 a 2016, ele que tem um grande trabalho realizado junto aos trabalhadores e trabalhadoras rurais do município de Angicos na região central do RN, a solenidade de posse do presidente reeleito do município de Angicos teve inicio as 10 horas da manhã com a participação de vários órgão competentes como INSS, Prefeitura municipal, FETARN, Banco do nordeste, câmara municipal, além de inúmeras autoridades que prestigiaram o presidente reeleito Ivanaldo Rogerio que levou sua mensagem a toda classe trabalhadora do município pertencente a agricultura família, a pós a mensagem do Presidente reeleito outras lideranças também levaram sua mensagem em serrando com um almoço especial para todos os presentes.

COBERTURA TOTAL
BLOG RIO DOS VENTOS
BLOG DE ALMIR MEDEIROS
E JORNAL CENTRAL
A NOTICIA NO TAMANHO EXATO DO RN.
Deu na Tribuna do Norte:
No semiárido potiguar, a seca está destruindo as bases da agropecuária. Os reservatórios estão saturados e o manancial de água disponível é insuficiente. Sem pasto, os registros de morte do gado bovino aumentaram e houve redução na oferta de emprego. Este é o cenário no sertão – ainda mais devastador do que há quatro meses quando a TRIBUNA DO NORTE publicou a série de reportagens “Caminhos da Seca”, depois de percorrer 12 municípios do RN.
Nos últimos quatro meses, dirigentes, tanto da Federação da Agricultura do Rio Grande do Norte (Faern) quanto da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc) viajaram pelo sertão, ouvindo depoimentos e colhendo dados nos municípios mais afetados pela seca. Além de relatos desoladores, localizaram cemitérios de animais; constataram a grave escassez de água e ouviram reclamações de que a lentidão das ações governamentais mata a pecuária, uma atividade econômica pioneira, que envolve diretamente mais de 120 mil pessoas.
Em meio à caatinga, os criadores e agricultores reclamam de problemas na oferta de água, com colapso, inclusive, na zona urbana de alguns municípios; escassez de alimento para os rebanhos e da burocracia na liberação do crédito rural emergencial. No Estado, 138 municípios estão em estado de emergência, decretado em abril deste ano, e prorrogado por mais 180 dias, no último dia 10.
A redução da produtividade é uma realidade em todos os municípios percorridos pela Anorc e Faern, nos últimos meses. Em setembro, os dirigentes da Anorc, por exemplo, fizeram um trajeto de Lajes a Caicó e identificaram, ouvindo as associações e pecuaristas, que a produção de leite deverá cair entre 30% e 60%, até o final do ano. Essa retração já produziu efeitos negativos no mapa do emprego, no sertão potiguar. Entre janeiro e julho deste ano, 1.609 postos de trabalho foram fechados no RN. Isso somente, na agropecuária.
Os dados são do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. O mapa da evolução do emprego mostra que, na atividade agropecuária, há um grande descompasso: no ano, o setor contratou 4.357 pessoas e demitiu 5.966 – uma retração de 10,95%, em relação a dezembro de 2011. “O setor está mais pobre, está demitindo e não pode contratar no mesmo ritmo”, afirmou o presidente da Faern, José Álvares Vieira.

sábado, 20 de outubro de 2012

Pecuarista pede o retorno de perfuratrizes no campo


Criador de gado leiteiro em São José do Campestre, na microrregião da Borborema Potiguar, o médico cardiologista e empresário João Maria Marinho, já perdeu 25% de seu rebanho de fome e de sede desde o começo do ano. Hoje, com 80 cabeças, criadas em 500 hectares, Joca, como é mais conhecido, amanheceu este sábado com um ponto de interrogação na cabeça: “Onde estão as perfuratrizes do governo do Estado?”.
Conhecido em Natal e na região de São José do Campestre, município com mais de 12 mil habitantes, desde que começou a criar gado de leite, o professor Joca não atravessava dias tão difíceis. Depois de esgotar o capim de pisoteio, o estoque de palmas e de mandacaru, ele já começa a queimar facheiro para servir aos animais.
O milho da Companhia Nacional de Abastecimento é disputado pelos produtores, que tiveram suas cotas de retirada diminuídas como forma de racionar o produto que vem do Mato Grosso. A cota de Joca, por exemplo, de 67 sacos para 50 sacos. Para ter acesso a ele, o médico leva até dois dias – um para obter a guia de pagamento e outro para retirar o produto. No caso dele, o armazém da Conab mais próximo é o de Natal, a 110 quilômetros de São José do Campestre.
Com resultado disso tudo, a produção do empresário despencou de 500 litros diários para 150. Estes, ele repassa a R$ 0,85 o litro para um atravessador que, por sua vez, entrega na usinas. “E dinheiro, que é bom, demora a sair”, observa.
Hoje, o professor Joca entrou em contato com este jornal para perguntar: “Já não passou da hora do governo estadual por para funcionar as perfuratrizes que eu sei que existem e que o ex-governador Iberê Ferreira já usava?”.
Ele reconhece que a qualidade da água pode não ser das melhores nesse tipo de extração, mas  seria uma alternativa de impedir a mortandade do rebanho. “O Estado tem levantamentos geológicos para orientar as perfurações e a situação já é desesperadora demais para não se usar esse recurso”, acrescenta.
O professor Joca, embora privilegiado por manter outros negócios, é um entre centenas de produtores que todos os dias se deparam com carcaças de animais mortos em suas propriedades.
Neste sábado, este jornal não conseguiu retorno das ligações ao secretário Betinho Rosado, da Agricultura, e seu adjunto, José Simplício Holanda, para comentar a sugestão do produtor João Maria Marinho de colocar as perfuratrizes do Estado em ação. (MH)

Rebanho bovino cresce em ritmo mais lento


A criação de gado no País reduziu o ritmo de alta em 2011, após três anos consecutivos de aumento, o que indica um encerramento no ciclo de pecuária, com animais prontos para o abate. Como resultado, deve haver estabilidade no número de bovinos no Brasil em 2012, segundo o IBGE, que divulgou a pesquisa Produção da Pecuária Municipal.
Os bovinos totalizaram 212,798 milhões de cabeças em 31 de dezembro de 2011. O rebanho cresceu 1,6% em relação a 2010, após já ter aumentado 2,1% no ano anterior. Em 2009, a expansão foi de 1,5%.
O município de São Félix do Xingu, no Pará, tinha o maior número de animais, o equivalente a 1% do total nacional. Mas o destaque no ranking de maiores criadores no ano foi o município de Altamira, no Pará, que subiu da 28.ª posição em 2010 para o 12.º lugar em 2011.
“O ciclo da pecuária dura três anos, que é o tempo para o bezerro crescer e virar carne”, explicou Adriana Santos, pesquisadora da Coordenação de Agropecuária do IBGE: “A gente acredita que esse ano de 2011 está fechando um ciclo da pecuária. Daqui para frente, a tendência deve ser de estabilidade. Já tem animal pronto para abater.”

Festa do Boi registra o maior público dos últimos 4 anos


Com todos os estábulos ocupados, 450 expositores participantes e quase cinco mil animais na mostra, a 50ª edição da Festa do Boi, que termina neste domingo no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, por causa da seca que atinge o Estado, não atingirá os R$ 100 milhões em negócios previstos no começo do evento.
O assessor de imprensa da Anorc, Marcelo Abdon, postou hoje em seu blog a informação que os negócios nos leilões devem ficar 30% menores em relação ao ano passado. Em compensação, diz ele, a Festa chega ao seu final batendo recorde de público dos últimos quatro anos.
Apesar de faturar menos na comercialização de animais, Abdon lembra que os comerciantes que estão com estandes no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes “estão todos muito satisfeitos com o movimento alcançado em volume de negócios”.
Neste ano, o evento foi marcado por um fato especial: a revogação da portaria que impedia o trânsito tanto de entrada quanto de saída de animais do Estado. Isso não só permitiu que a exposição mantivesse a mesma imponência ano passado, como manteve em alta a tradição da Festa do Boi, que este ano foi dedicado ao centenário de nascimento de Luiz Gonzaga, o ‘Rei do Baião’.
Apesar da seca que castiga o Nordeste, a Festa tem uma importância específica para os selecionadores, que há muitos anos realizam um trabalho reconhecido nacionalmente de aperfeiçoamento genético das raças. Para Abdon, a queda na comercialização de animais, em comparação ao ano passado, já era esperada.
Independentemente da queda dos valores arrecadados nos leilões, a Festa do Boi cumpriu bem sua missão educativa e formadora ao promover e difundir conhecimento aos participantes. E um dos exemplos disso foi o Espaço Sebrae, que chegou a receber cerca de  600 pessoas em palestras, seminários e clínicas tecnológicas, além de outras 400 que buscaram o atendimento dos técnicos na orientação de novos negócios. Os temas dos encontros ali abordaram alimentação, reprodução, sanidade, genética, gestão e tendências na cadeia produtivas de bovinos, ovinos, caprinos e búfalos.
Como já é tradição, a exposição recebeu também delegações de produtores rurais de diversos municípios do Estado, que chegam para observar as últimas novidades para o campo. A Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), onde estão demonstradas as ações da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) e da Emater, cedeu um espaço dentro da sua área de exposição na Festa, conhecida como Fazendinha, para uma demonstração de uma nova variedade de tomate desenvolvida pela Embrapa Hortaliças, com sede em Brasília, tendo como melhorista o pesquisador Luis Boiteux. Conhecido por Tomatec – Sistema de Produção de Tomate Ecologicamente Cultivado, com o apoio também da Embrapa Solos, foram lançadas duas sementes híbridas, a BRs Portinari e a BRs Nagai.
Ainda durante a Festa do Boi deste ano, produtores, criadores, pesquisadores e alunos participaram do VI Seminário Vitrine da Raça Guzerá e Lançamento do Programa Pró-Genética no RN, durante toda a terça-feira, 16. No evento, foram abordados vários temas voltados ao aproveitamento da raça Guzerá, como as potencialidades e interpretação dos resultados obtidos com o animal, como a produção de leite e aproveitamento da carne.

Notícias do PRODECENTRO

Brasília (DF), 18/10/2012
Pepe ressalta importância da parceria do governo federal com municípios
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, e a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, se reuniram na tarde desta quinta-feira (18) com a diretoria da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), para dialogar sobre o 2º Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável. O evento será realizado entre os dias 23 e 25 de abril do ano que vem, em Brasília, e deve reunir cerca de 500 prefeitos e um público de três mil pessoas.
A segunda edição do encontro tem como objetivo proporcionar aos novos prefeitos de todo o Brasil a oportunidade de iniciarem as gestões ligadas aos desafios do desenvolvimento sustentável em três eixos: ambiental, econômico e social, dando ênfase aos micro e pequenos empreendimentos urbanos e rurais. Com a renovação em 73% das prefeituras brasileiras, a reunião será um espaço privilegiado de debate e aprendizado.
Ambos os ministérios confirmaram a participação no evento, lembrando a importância da parceria do governo federal com os municípios, que é onde as políticas acontecem. “O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), por exemplo, tem uma nova modalidade, a Compra Institucional, em que órgãos das administrações públicas federal, estadual ou municipal que precisem de alimentos de forma continuada e sistemática podem adquiri-los da agricultura familiar sem licitação”, observou Pepe Vargas. Segundo o ministro, as prefeituras são um importante mercado. “E esse é um espaço para que os administradores públicos conheçam ações desse tipo”, afirmou.
O presidente da FNP, João Coser, também ressaltou a necessidade desta parceria. “O poder local tem capacidade de se inserir neste debate com questões como geração de renda, colocação no mercado e garantir uma gestão com foco nas pautas dos ministérios”, explicou.